A Vara do Trabalho é a primeira das instâncias que respondem as ações acatadas pela Justiça do Trabalho. São responsáveis por julgar os conflitos individuais relacionados aos meios trabalhistas, esses conflitos chegam na Vara do Trabalho como uma reclamação, a sentença é deferida pelo juiz responsável e caso a parte recorra a recurso, o processo parte para a segunda instancia, que é o Tribunal Regional do Trabalho.

A Justiça do Trabalho é aquela que julga todas as ações entre empregado e empregador. Todos os juízes do trabalho trabalham dentro das varas trabalhistas, formando a primeira instância, então, cada Vara do Trabalho conta com no mínimo dois juízes trabalhistas, um titular e um substituto.

JUSTIÇA-TRABALHO

Qualquer um dos envolvidos na relação empregatícia pode entrar com recurso, seja ele patrão ou empregado, requerendo os prejuízos que foram causados.

O requerimento da ação pode ser realizada de duas formas, de forma escrita, sendo auxiliado por um advogado ou pelo sindicato; ou de forma verbal, se dirigindo para a Vara do Trabalho mais próximo e levando os documentos que comprovem a alegação.

Quais são as leis trabalhistas?

Há uma série de leis que são tratadas no contrato de CLT, mas tem algumas que merecem uma atenção maior para que o sistema trabalhista funcione no Brasil.

1 – Jornada de Trabalho: As leis trabalhistas determinam que deve existir uma jornada máxima de 8 horas trabalhadas diárias, somando um total de 44 horas semanais de produtividade.

2 – Horas extras: Caso as horas trabalhadas sejam excedidas, as leis determinam que o funcionário deve receber pela carga a mais trabalhada, como uma medida de proteção a saúde e esforço.

3 – Licença maternidade: Esse é mais um dos direitos dos trabalhadores, que oferece de 4 a 6 meses de licença renumerada para a mãe após a criança nascer. Junto com o afastamento, também existem outros direitos garantidos para a gravidez, como a estabilidade, sendo que a mulher não pode ser demitida desde o início da gravidez e até 4 meses após o parto.

4 – Férias renumeradas: A cada um ano de trabalho, o empregado tem direito a receber 30 dias de férias. Essas férias podem ser negociadas, em tirar os 30 dias integral, ou distribuídos no decorrer do ano, ou ainda, uma parcela pode ser vendida do empregado para o empregador.

A decisão de abrir um processo contra uma empresa é algo que implica diversos fatores, portanto é importante pensar bem e avaliar tudo.

O primeiro passo é contatar o Sindicato – cada atividade possui um Sindicato para representar os direitos do trabalhador – entre os descontos que são feitos no pagamento do empregado, é descontado uma parte da contribuição sindical, o que implica no acesso aos benefícios que são oferecidos pelo órgão, como uma assessoria jurídica.

Processo trabalhista

É importante que tenha todas as informações atualizadas quanto a CLT, que é o que define os direitos do trabalhador, aqui já cabe um dos deveres da empresa, em que todos os funcionários devem ser registrados dentro do prazo de 48 horas após o acordo dos direitos e deveres trabalhistas.

Antes de abrir qualquer processo é importante ter em mãos todos os documentos comprovatórios do período do trabalho, como: contrato de experiência, registro na carteira de trabalho, comprovantes de pagamentos e recibos, registros de frequência e testemunhas.

É importante lembrar que a lei dá um prazo de até 5 anos após a saída do funcionário da empresa para que ele possa entrar com ação trabalhista.

Como entrar com ação trabalhista contra empresa

Para dar início ao processo trabalhista, o trabalhador deve procurar a Vara do Trabalho da sua região, e levar todos os documentos pessoais como RG, CPF, carteira de trabalho e os comprovantes de trabalho já citados acima.

O reclamante pode escolher se vai ou não ser representado por um advogado, caso sim, deverá haver uma procuração assinada pelo mesmo.

Não existe um prazo definido para o processo ser deferido, existem diversos tipos de processos e causas trabalhistas, o que pode levar mais tempo para ser definido pelo juiz do caso.

Após a apresentação dos documentos, é marcada a primeira audiência em uma data próxima, na tentativa de um acordo ou conciliação. Caso não ocorra um acordo de ambas as partes, o processo parte para a parte de investigação, ouvindo as testemunhas, analisando as provas, então é remarcado uma nova audiência, se mais uma vez o caso não for resolvido, segue para julgamento.

A empresa de transporte Uber está sendo reconhecido em várias cidades do nosso país. É uma empresa privada nos eua, chamado de Super Technologies Inc. e oferece serviços de aluguel de carro com motorista através de uma aplicação na Internet. Para fazer isso, uma vez que o aplicativo é baixado gratuitamente ou em nosso celular será capaz de reserva e alugar um veículo com motorista. O funcionamento é muito simples: escolha o destino e preço a partir de nossa localização e esperar para o serviço. No final do serviço é pago e você pode pedir o voucher por e-mail, bem como comentar sobre o trabalho realizado.

Recentemente, a empresa anunciou, com actualizações para os motoristas e viajantes. Dada a sua popularidade, é desejável rever as condições de segurança, que atualmente inclui este tipo de serviços, e o que eles se propõem a desenvolver.

Informações sobre o veículo e seu condutor

Os drivers de Uber para a unidade deve obter uma licença VTC, aluguer de veículos com condutor, concedidas pela Administração e que faço para ser capaz de fornecer um serviço de transporte público. O motorista do Super conta com assistência 24 horas por dia para responder as questões e dúvidas que se levantam de seus clientes. Na verdade, cada passageiro tem acesso a recursos de segurança embutidos no aplicativo e cada viagem tem uma equipe de serviço, se necessário.

Todos os drivers, Uber deve concluir um processo de revisão que inclui a verificação de um documento de identidade com foto e outra documentação relevante para determinar se eles satisfazem os requisitos antes de serem autorizados a viajar através do aplicativo. Como para o veículo, você tem que atender uma série de requisitos, tais como: idade máxima de 6 anos e não mais de 350000 km, no mínimo, 5 portas, de cor negra, de preferência, e que é bem cuidado dentro e fora. Além da documentação obrigatória do veículo, você deve levar o cartão de transporte VTC.

seguridad uber

Controle De Velocidade

Como é bem conhecido, dadas as facilidades que oferece este tipo de plataforma, é o aplicativo ligado para o GPS, que vai fornecer o serviço de acompanhamento. A velocidade do veículo, durante a condução, nós o vemos no velocímetro fornecidos no painel do carro, mas você seria para ficar registrado como um lembrete ou ser capaz de demonstrar o tempo gasto em cada viagem. Em última análise, verificar as queixas do usuários se seus drivers exceder o limite de velocidade.

Por esta razão, Uber planos para monitorar os seus drivers de condução com excesso de velocidade e violações. Além disso, os motoristas serão alertados dos limites de velocidade em função da área em que estão localizados, tornando possível reduzir ou exceder a limitação e o controle de velocidade. No entanto, a empresa disse em um comunicado que os drivers não serão penalizados com economia, mas o final do projeto será a de melhorar as classificações que os usuários fazem depois de cada serviço. Dessa forma, Uber será capaz de dar resposta aos baixos escores em relação a seus controladores , e, em particular, para que se proceda a uma chamada de atenção sobre aqueles que são avaliadas de forma negativa.

Assistência em viagem e seguro de acidentes

A assistência na estrada do Uber inclui um botão ajuda em uma emergência , que pode ser utilizada pelo passageiro, se você está enfrentando uma situação de perigo. Isso vai servir para contato com as autoridades e irá fornecer o passageiro no momento do uso de informações úteis, tais como a localização GPS em tempo real (tanto no mapa como o endereço), bem como a marca, modelo e placa do carro. Ao mesmo tempo, a aplicação Uber fornece um guia para o antes, durante e após a viagem. Por outro lado, o mesmo aplicativo dá a opção de consulta em um outro tipo de assistência técnica, tais como os erros na aceitação do serviço, bloqueios, conectividade, etc.

Em termos de seguro de acidente, Uber foi contratada uma responsabilidade civil, a política através de uma companhia de seguros. Este seguro destina-se a proteger todos os seus drivers, usuários e terceiros em todas as viagens feitas dentro do aplicativo. Tal política abrange:

– Acidentes pessoais para ocupantes do veículo
– Despesas médicas, morte e invalidez devido a acidentes em viagem
– Responsabilidade Civil para terceiros e passageiros

Itinerário mais seguro

A empresa, Uber, foi concebido em sua aplicação a um sistema de recepção de alertas sobre onde para a unidade, quando há tráfego intenso. Dessa forma, sabendo o destino que você vai saber quando você vai para uma área com engarrafamentos, se vale a pena esperar ou escolher outro caminho. Há a possibilidade de adicionar contatos de confiança para compartilhar os detalhes da viagem. Além de dados sobre o sistema de rastreamento de GPS que você pode conhecer em tempo real o impacto do trânsito.

Em suma, são melhorias que dá a uma empresa vender um produto: aluguer de carro com motorista, simplificando as tarefas, e tão confortável. No entanto, este tipo de empresas permanecem notícias não o serviço que eles oferecem, mas pelo conflito que existe com o táxi indústria. Em maio do ano passado, o tribunal dá razão para os motoristas de táxi contra Uber, em virtude das exigências e a facilidade com a qual eles têm permitido o aumento da licença VTC. Um conflito que, atualmente, continua a existir e que, aparentemente, ainda não foi resolvida, mas as indicações são de que a mobilidade não está em desacordo com outras alternativas de transporte.

Mais informações |

Em Circulação Seguro|

Depois de publicar que ocorrem com mais freqüência em nosso país, tem procurado destacar as circunstâncias em que estes ocorrem. Talvez a questão não é tanto que eles ocorrem, mas por que elas ocorrem e que parte de responsabilidade que temos como drivers para evitar repetir os mesmos erros, nas mesmas situações.

Estes são os acidentes mais frequentes

Vamos para o grão: 77% de todos eles aconteceu em estradas. A DGT confirma que é a saída de vias em que há apenas um veículo envolvido. No total, o ano passado, esta tem sido a causa de 367 mortes em estradas convencionais. Que motivos? Principalmente, o excesso de velocidade, e distrações presentes em mais da metade dos casos como um fator recorrente. Por outro lado, para um 47% da produção caminho haviam consumido álcool ou drogas.

Em segundo lugar encontramos as colisões frontais. 285 mortes, em 2017, o que, em sua grande maioria foram por causa de uma invasão de pista oposta em vias de duplo sentido. Em outras situações, foram motivadas por ultrapassagens antirreglamentarios, como perigosos, eles podem ser. Álcool, drogas, fadiga e sono, outras razões para se destacar nesta seção.

Colisões frontolaterales, típico de interseções, causada 149 mortes. A falha dos sinais e regras de prioridade, é apontado como um fator em 44% dos casos, enquanto a distração e velocidade inadequada envolvidos, cada um em uma versão de 32%

Os ultrajes que parecem ser as mais minoria , mas até 54 pedestres morreram no ano passado, um resultado. A maioria ocorreu durante a noite, motivado pela falta de visibilidade e aumento do consumo de álcool e drogas . Do número total de mortes em 2017, 567 estavam viajando em carros de passageiros, 189 motos, 64 em vans e 48 bicicletas.

Os dados, voz e

Nos últimos anos, um dos assuntos de maior preocupação é o aumento da média de gravidade dos acidentes que ocorreram em nossas estradas. Em caso de sinistro, a letalidade aumentou em 13% a partir do ano de 2013, passando de 2,4 a 2,7 mortes por cada cem vítimas. Este aumento foi de 30% em colisões frontais e 35% nos outlets-de-forma.

que auto-estradas e vias expressas de acordo com estudos recentes. A estrada pode ser uma redução de 30% no risco em comparação com a primeira, e além disso, a gravidade desses caminhos é reduzido. A saída da crise económica pode ser uma causa secundária do aumento dos dados analisados. Na base de que a recessão foi uma queda no nível de vida, muitos motoristas escolheu as estradas convencionais em suas viagens de longa distância, acima e além do pagamento de portagens na auto-estrada. Desta forma, o risco de colisão, e o tráfego é multiplicado.

Em estradas secundárias, o perigo é duplo , porque as suas intersecções e adições são encontrados no mesmo nível, têm caminhos e velhos, muitas vezes, tem que invadir a direção oposta para ultrapassar.

Neste sentido, há manchas pretas nas nossas estradas , onde o risco de acidente é maior. Que serve como um aviso aos viajantes, a colocação de um sinal e como hoje reforçada.

  • N-320 entre Madrid e Guadalajara: mais perigosos da estrada em Espanha, por seu alto número de reclamações.
  • N-634 para La Coruña: um trecho com uma grande quantidade de tráfego e uma alta taxa de colisões em uma comunidade autónoma da Galiza, que é líder, juntamente com a Catalunha e nas Astúrias, a lista de regiões com pontos pretos na estrada.
  • Em 2016 foram identificados até 1313 pontos negros de toda a rede de espanhol estradas, cobrindo até 25 000 quilómetros da mesma, com uma média de 30 seções por província.

E quais são as principais causas?

Como já dissemos, a distração, estão por trás da maioria desses acidentes. Embora seja verdade que o tipo de estrada aumenta ainda mais a probabilidade de que esses fatores são determinantes. De acordo com os dados da DGT, o excesso de velocidade está presente em uma de cada cinco acidentes de automóveis, com 60% de mortalidade. Outras razões que encontramos na maioria das colisões como a fonte de que estes podem ser: o estado do motorista, seja por consumo de substâncias nocivas ; a rota da estrada; a maior ou menor fluxo de carros ; e a negligência em respeitar as medidas de segurança adequadas.

Não devemos deixar de fora o fator humano como principal causa, embora o estado do veículo ou a qualidade da estrada ou rodovia em questão pode ser colocada como uma das principais causas do incidente. Mais se tivermos em mente . As condições meteorológicas e de tráfego em datas específicas da temporada são circunstâncias que temos que viver em estradas, mas que certamente são importantes para analisar .

Em Circulação Seguro |

Em Circulação Seguro |

Imagens | Flickr iStock

estes dois conceitos são muito próximos uns dos outros. O é uma das mais altas na estrada a segurança para o motorista de qualquer veículo, motorizado ou não. Embora possa parecer fácil de realizar, a concentração tem sua parcela de destaque de esforço cognitivo.

Atualmente, não é sobre o uso das novas tecnologias e suas consequências sobre a nossa capacidade de atenção. Dentro de tal uso, e além de smartphones, há um dispositivo que, infelizmente, é mais comum do que poderia ser desejado por uma grande variedade de situações. Falamos sobre os fones de ouvido. Até que ponto é compatível para uso com o uso da estrada?

O que são ruins, você pode ter de nos divertir enquanto podemos ouvir música? O que é que nós não ouvir rádio ou música durante a condução e são os recursos existentes e que são compatíveis com a condução? A resposta a estas perguntas está no modo em que eles são utilizados fontes de entretenimento. Na verdade, você não pode esquecer o passado e continuam a representar um fator de risco.

Fones de ouvido de condução e

O uso de fones de ouvido não é uma exceção. Embora o rádio ou a música são um bom aliado para os controladores, tomar cuidado de como você consome. Em determinadas circunstâncias, tais como a ouvi-la em alta intensidade, você pode atacar a nossa capacidade de cuidar . A mesma coisa acontece com o tipo de conteúdo ou de música que você escuta.

O uso de fones de ouvido vai além do isolamento de 100% da informação acústica que vem para nos tirar do caminho. Portanto, o proibido , no mesmo artigo (artigo 18), que censura o uso de dispositivos móveis.

2. É proibido conduzir e utilizar capacetes ou fones de ouvido conectado ao aparelho, receptores ou reprodutores de áudio, exceto durante o correspondente de ensino e a realização de testes de aptidão em circuito aberto para obter carta de condução de duas rodas, motocicletas, quando é exigido pelo Regulamento Geral dos Drivers.

É proibido o uso durante a condução de dispositivos para telefonia móvel e quaisquer outros meios ou sistemas de comunicação, salvo quando o desenvolvimento da comunicação sem usar as mãos ou usando capacetes, fones de ouvido ou de instrumentos similares.

A norma estabelece, além disso, uma pena de uma multa de 200 euros e a perda de três pontos na carta de condução.

Posso ir em um passeio de bicicleta com fones de ouvido?

Como já foi dito em mais de uma ocasião na Circulação de Seguro, o mesmo artigo aplica-se aos motoristas e . O caso de ciclistas com fones de ouvido é, infelizmente, bastante comum. A DGT, na sua recorda-nos a sua proibição. em todas as situações e, especialmente na cidade, leva para banir o seu uso.

A bicicleta é, além disso, um meio de transporte ainda mais especial neste aspecto. E é que não necessita de esforço físico, a coordenação, a habilidade e a atenção para ser capaz de manter as condições de segurança. Ao usar os fones de ouvido perdemos um grande número de sinais acústicos que chegam de fora, e que contribuem para a bicicleta em segurança.

E não só isso, porque a orelha, o equilíbrio e a liderança são ligados diretamente ( eles são testemunhas disso). Embora possa parecer exagerada, em certas situações, o uso de um fone de ouvido pode afetar a nossa técnica na moto. Além disso, como um físico penalidade adicionado, o cabo que o conecta aos dispositivos podem trazer complicações adicionais se entra em contato com qualquer uma das peças da bicicleta.

E pedestres, você pode usar fones de ouvido?

O uso de fones de ouvido está fortemente relacionado com a realização de exercício físico. É uma das razões para o seu uso por ciclistas, mas também para corredores ou corredores. Esta espécie, já tão popular nas nossas ruas tem sido cuidar de pagamento , incluindo o uso apropriado e responsável de fones de ouvido.

Este ligações com o problema de pedestres: é possível usá-los? Como eu posso obter um bilhete para atravessar a rua com fones de ouvido? O artigo 122.7 do Regulamento Geral de Circulação responder parte dessas perguntas:

O pedestre, após o óptico e acústico sinais de veículos de uma prioridade, autorizou a entrada de carros e permanecem em abrigos ou áreas de pedestres

O padrão não censura, literalmente, o uso de fones de ouvido no pedestres. No entanto, entendemos que é responsabilidade do pedestre para manter o foco preciso. Na verdade, há uma penalidade de multa relacionadas com a violação (entre 80 e 200 euros). Seria o caso de impedir o movimento de um veículo prioritário.

O que é certo é que , para ser um dos mais vulneráveis aos jogadores. Pode ser lógico que a proibição dos fones de ouvido não estender a estes. Isso não quer dizer que eles podem se livrar da atenção necessária para que requer que você atravessa com segurança, tal como o resto dos usuários da estrada.

Em Circulação Seguro |

Imagens | , e

A . A bicicleta pode ser sua empresa, na cidade e nas montanhas e nesta época do ano, há muitos que são incentivados a fazer viagens ousadia em duas rodas. Não é incomum, portanto, para ver como cada vez mais drivers para mover suas bicicletas a bordo em busca de melhores rotas. Mas, você Sabe como deve ser transportado em carro com segurança? E… o Que diz o regulamento?

Como isso afeta a condução?

Transporte sua bicicleta no carro, envolve uma série de efeitos no tempo de condução. Isso é o que você deve levar em conta:

É claro que vai ser afetado, em primeiro lugar, o seu consumo de combustível. Aumentar o peso da carga vai aumentar a resistência ao ar e, com ela. Não vai ser muito exagerada, mas, sim, você pode notar como você parar com mais frequência nas estações de serviço

Temos de ter especial cuidado com os pneus , porque, pela mesma razão, como no caso anterior, que assumimos. No caso de não vê-los com freqüência pode aumentar significativamente a distância de frenagem, bem como o risco de rebentar uma roda.

C0nducir tão suave e relaxante é a melhor forma de ajustar o seu estilo para o cuidado que se exige para o transporte de uma bicicleta. Nas vias urbanas, olho com redutores de velocidade e calçadas; e nas montanhas, as curvas são espaços de perigo no mais precauções que devemos tomar.

No porta-malas

É um recurso muito utilizado pelo seu baixo preço (zero). Em um grande carro apenas inferior a bancos e colocar a moto na traseira, sim, você deve sempre ir bem presa com correias de segurança, não só para a sua segurança, mas porque assim o ordenou pelos regulamentos. 15 quilos de bicicleta, a uma velocidade reduzida exerce tal força no golpe que pode ser fatal, então, a subordinação é uma necessidade, se você escolher esta opção de transporte. É claro, que você precisa para garantir a plena visibilidade através de espelhos para obter uma visão do que está acontecendo atrás de você.

Suas principais vantagens são que ele não precisa de nenhum extra, parte dos elementos de aperto e também afetou a aerodinâmica do carro. Além disso, quando você ir para dentro, é menos probabilidades de sofrer um roubo do mesmo. Por outro lado, esta opção pode não ser levantar se você não tem uma grande bagagem ou se você estiver viajando com mais pessoas. Também, acho que você pode bagunça da vida-interior de estofos do seu carro.

A lei, por sua vez, aceita este tipo de transporte, embora não seja recomendável para o seu elemento de perigo em caso de sinistro. Você não será multado, desde que você leve a moto bem fixo e presa no veículo, sem prejudicar a liberdade de movimento de passageiros.

Bicicleta rack de teto

Este é um dos mais comuns e econômico. Apenas requer a instalação de um bagageiro de teto, apesar de a moto que sofre a devastação da viagem. O ar e a tensão gerada pode causar danos a algumas partes da moto, então as vezes vale a pena desmontar a roda da frente. A aerodinâmica do carro é afetado e, portanto, o seu consumo. Além disso, é mais freqüente que nos esquecemos de que somos mais, com o problema decorrente que envolve a entrada em túneis, garagens, parques de estacionamento…

Por outro lado, e como um ponto positivo, nós liberado o espaço interior, e não há legais desvantagens como a altura máxima permitida é de quatro metros. Em termos de duração, a moto poderia excel para trás até 15% do comprimento total do carro, mas então seria obrigatória a señalizarlo com a marca V-20 .

Bicicletário na porta da bagageira

Ele é um dos sistema mais confortável para transportar a bicicleta, pois não só permite o transporte de vários deles de uma só vez, mas é de fácil montagem e desmontagem de cada um deles. O que desvantagens? Nada é perfeito, e, neste caso, temos de ser muito claros sobre a nossa paixão por este esporte, uma vez que o sistema de portão nos vai impedir de abrir o baú , quando as bicicletas terem sido carregadas. Claro, é possível remover as âncoras a partir do rack, mas, então, eu não iremos encontrá-lo tão confortável. A propósito…. ¡Tenha cuidado para não arranhar a lataria! Enquanto a carga não exceda a largura total do veículo, e o registro e drivers de traseira são perfeitamente visíveis, estaremos cumprindo a lei.

Se não há tal caso, então ele deve ser de que a limpeza de uma ou duas rodas e usar o sinal de V-20 do sinal da carga. O preço destes suportes de porta é geralmente em torno de 50€, um valor que é acessível por um sistema que, uma vez desmontado, ele ocupa pouco espaço no porta-malas e é bastante “portátil”.

Bicicleta gancho ou a bola

Para os mais apaixonados esta pode ser a melhor opção. A moto que transportar sua bicicleta no carro com maior frequência , eles devem considerar a possibilidade de instalação de um gancho do reboque no qual para fixar o suporte de bicicletas. Alguns modelos da marca Opel, permite a integração no corpo, e que é muito semelhante ao discutido abaixo. Eles são caros para instalar, mas são mais confortáveis para as motos , e até mesmo permitir que você gerencie o interior do tronco com as motos já postou em seu apoio.

Sim, se este não estiver em uso muitas vezes pode ser um incômodo porque, mesmo sendo dobrável, invade o espaço e um monte de complicadas manobras de ré. Como na bike racks de traseira, a lei enfatiza que a carga não pode sobressair mais do que 15% do comprimento do veículo. Em qualquer caso é obrigatória a utilização de V-20 com este tipo de bicicletários. Existem ainda modelos em que o recurso de luzes e de registro próprio.

Carrinho ou reboque

Nós incluímos esta opção, porque, embora não seja usual para os particulares, há também. As escolas e equipes de ciclismo podem ser levantadas para incorporar um carrinho de compras ou reboque deste tipo se eles exigem o transporte de muitas motos (15 ou mais). Para isso, você precisa de um gancho, o trailer e sistemas de aderência para amarrar as bicicletas. O veículo deve ser capaz de trazer de reboque e ser dedicado exclusivamente para isso, desde que eu não permitem incorporar mais os encargos.

É uma opção cara, que envolve problemas de estacionamento e maniobralidad, mas, de acordo com os casos em que é necessário. O regulamento que se aplica neste caso é específico para reboques, além do que já foi dito acima em relação à largura e sinalização.

O que se multan para o transporte de errado bicicleta?

Assim, podemos punir se incumplimos algum aspecto da regulamentação aplicável a cada sistema de transporte. É multa pode variar de 80€ a 200€ por isso, é melhor certificar-se de que você levá-los corretamente. Se você quer saber como você pode ver abaixo, em particular o artigo 14 é o que se refere à carga

Em Circulação Seguro |

Em Circulação Seguro |

Imagens| iStock

A espanha é um país líder mundial no campo de segurança rodoviária é algo que grande parte da população é desconhecido. A redução de acidentes de trânsito, especialmente nos últimos 20 anos, tem feito que passe a estar na fila no início dos anos 90, para posicionar-se entre as melhores. A nossa condição de estado-membro da União Europeia, e os nossos laços com a América latina, têm servido para promover medidas de grande importância a nível internacional.

O enorme progresso da segurança rodoviária espanhol

“Antes de você morreu de 80 pessoas a cada fim de semana. No final da semana passada, morreu três”. , ex-diretor da DGT, um resumo dos progressos que você viveu em espanhol estradas nos últimos 50 anos. A trágica tendência de acidentes desde o início , levou-nos para marcar um recorde histórico em 1989, com um 5.940 mortes nas estradas. Desde então, a Espanha tem mostrado uma clara atitude de um reformista, que conseguiu reduzir esse número 1,126 vítimas, em 2015, uma baixa histórica para a data.

Como costumamos dizer, a corrida para a luta das vítimas na estrada começou em 1960, ano em que eles começam a tomar registros de acidentes de trânsito e suas circunstâncias. O primeiro problema foi, obviamente, o excesso de velocidade; até 1974 não impõe um limite de velocidade de 130 km/h nas auto-estradas e 110 de rodagem, e em 1992 a 100-estradas secundárias. Antes que, somente os caminhões tinham a obrigação de respeitá-los, e os motoristas de veículos de passageiros estavam à mercê dos nossos próprios excessos.

Outro dos marcos na história recente de nosso país foi a obrigação de usar o cinto de segurança, desde 1992; antes disso, eu incluir nos seus modelos. Isso nos permitiu reduzir o número de pessoas mortas por não usá-lo a partir de 763 141, em apenas dez anos. Algo semelhante aconteceu com os Sistemas de Retenção para crianças, obrigatório desde 2006 seguinte directiva europeia, mas a corrida para melhorar as condições do menor .

Mas a grande revolução dos últimos anos foi o da caderneta por pontos. Em 2016 foi cumprido, e em que década, a Espanha passou de 5.000 mortes, em 2006, para mais de 1.700 em 2016. O enorme consenso alcançado por grupos políticos, fundações, associações profissionais e usuários, juntou-se pelo grande trabalho educativo do DGT ser feito para entender o cidadão o significado e valor desse novo sistema. Graças a isso, a caderneta por pontos, tem sido uma verdadeira mudança cultural para a sociedade espanhola, e tem permitido que como uma nação de chegar à frente de nós mesmos para países como a França ou a Alemanha em termos de segurança rodoviária.

A espanha é referência internacional

Não é por acaso que o UNITAR (Instituto das nações unidas para Formação e Pesquisa), o primeiro centro de formação de segurança rodoviária da instituição. O enorme progresso mostrado, nas últimas décadas, é um grande exemplo para os países em desenvolvimento, que hoje no campo de segurança rodoviária. Neste sentido, a Espanha representa um país de referência para esses países, devido ao importante papel que a educação para segurança no trânsito teve sobre o nosso progresso, destacando-se a figura, e outros similares vocações.

Outra razão para a aposta do UNITAR para a Espanha é para a função de ligação ou ponte entre a União Europeia e a América latina. O fato de ser um estado-membro da UE, permitiu que nosso país para participar nas políticas e regulamentações da ue no domínio da segurança rodoviária. É também o ambiente europeu, um promotor de projetos de grande inovação, como o parque e passeio de regimes de Narón (Corunha) e de segurança rodoviária de trabalho em Aigua de Rigat (Barcelona). Todo este saber – fluxo flui naturalmente para os países da América latina, através de várias formas de colaboração entre governos e instituições. Os laços culturais e, acima de tudo, compartilham a mesma língua, têm servido como um catalisador para a experiência espanhola vai servir como um exemplo, em países da américa latina.

O sucesso do comprometimento de todos

Outra razão por que a Espanha é um grande exemplo, é o compromisso dos diferentes governos de nosso país, independentemente de sua cor política ou de sinal. Os especialistas não deixar de ressaltar a importância do problema da segurança rodoviária tem sido, em maior ou menor medida, um elemento comum na agenda dos políticos. Este tem sido fundamental não só para adoptar medidas ou sobre as orientações provenientes da União Europeia. Ele também serviu instituições públicas, tais como a DGT ou instituições privadas , tais como a ou ter sido capaz de realizar as suas próprias iniciativas.

Graças a isso, a Espanha pode ser orgulhoso de ser parte de um pequeno grupo de países com políticas e regulamentos abrangentes sobre os cinco : o excesso de velocidade, consumo de álcool e drogas, o uso de capacete na motocicleta, cinto de segurança e sistemas de retenção para crianças. Mas, embora tenhamos motivo para ser feliz, os picos na taxa de acidentes dos últimos anos abriu o debate sobre a validade do modelo atual, e sobre os negócios inacabados que ainda tem o nosso país: a melhoria de condições para os ciclistas e o treinamento de primeiros socorros incidentes na estrada. Mas isso é outra história.

Em Circulação Seguro |

Imagens | iStock: , , , ,

Amoxicilina é um antibiótico de penicilina usado para tratar infecções bacterianas, incluindo bronquite, pneumonia e infecções do ouvido, nariz, garganta, pele e trato urinário. Embora possa ser altamente eficaz no tratamento de infecções bacterianas, também vem com uma lista de possíveis efeitos colaterais, mesmo naqueles que não são alérgicos a ela.

Existem 14 efeitos secundários conhecidos da amoxicilina (Amoxil, Trimox). Esses são:

  • reacções alérgicas como erupções cutâneas, comichão ou urticária, inchaço da face, lábios ou língua
  • problemas respiratórios
  • urina escura
  • vermelhidão, bolhas, descamação ou afrouxamento da pele, incluindo no interior da boca
  • diarréia
  • dor de estômago
  • dor de cabeça
  • tontura
  • dificuldade para dormir
  • convulsões
  • incomumente fraco ou cansado
  • sangramento incomum ou hematomas
  • amarelecimento dos olhos ou da pele
  • dificuldade em urinar, ou uma diminuição na quantidade de urina

Reações alérgicas como erupções cutâneas, comichão, urticária ou inchaço da face, lábios ou língua

As alergias nem sempre são o motivo de uma reação negativa a um medicamento. De fato, reações alérgicas são uma ocorrência rara. Embora possa parecer uma reação alérgica, é realmente uma reação adversa não alérgica. As causas mais comuns de reações adversas não alérgicas são anticonvulsivantes, aspirina e AINEs, vacinas, medicamentos para diabetes e agentes quimioterápicos.

Reações alérgicas leves incluem erupções cutâneas, coceira e urticária. Reações alérgicas leves não são preocupantes demais, mas devem ser observadas caso os sintomas piorem. Sintomas leves podem ser tratados com anti-histamínicos e hidrocortisona.

Inchaço da face, lábios, língua e falta de ar são sinais de uma reação alérgica grave. Se você tiver uma reação alérgica grave, procure atendimento médico imediatamente.

Se ocorrer uma reacção alérgica, monitorize a propagação da erupção cutânea ou vermelhidão. A amoxicilina pode causar reações alérgicas retardadas mesmo depois de você ter parado de tomá-las.

Problemas respiratórios

A dificuldade respiratória envolve uma sensação de respiração difícil ou desconfortável ou a sensação de não receber ar suficiente.

Em algumas circunstâncias, um pequeno grau de dificuldade respiratória pode ser normal. Congestão nasal grave é um exemplo. Exercício extenuante, especialmente quando você não se exercita regularmente, é outro exemplo.

Se você tiver dificuldade para respirar, pode estar experimentando uma reação alérgica à amoxicilina.

Se você estiver com problemas respiratórios leves, tente aliviar a respiração fazendo o seguinte:

  • Respire através dos lábios franzidos, o que diminui a respiração e permite respirações mais profundas.
  • Realize atividades em um ritmo confortável; evite apressar.
  • Tente não prender a respiração.
  • Sente-se na frente de um fã.

Se você é alérgico à amoxicilina ou à penicilina, informe o seu médico para que lhe seja prescrito outro medicamento para evitar essa reação. Se a respiração se tornar cada vez mais difícil, contacte o seu médico imediatamente.

Diarréia

A diarreia é frouxa, aquosa e freqüente nas fezes. A diarréia é considerada crônica quando você teve fezes soltas ou frequentes por mais de quatro semanas.

Beba muitos líquidos para evitar ficar desidratado. Beber leite pode ser bom para diarréia leve. Para diarreia moderada e grave, soluções eletrolíticas disponíveis on-line e em drogarias são geralmente melhores.

A diarréia é um efeito colateral comum da amoxicilina. Para ajudar a prevenir, tome suas doses com uma refeição. Evite alimentos que possam perturbar o seu estômago, como laticínios ou alimentos ricos em fibras.

Para tratar a diarréia causada pela amoxicilina, complemente com probióticos e mantenha-se hidratado.

A diarreia é tipicamente considerada um efeito colateral comum, mas se você estiver ficando desidratado ou notando sinais de sangue na diarréia, procure assistência médica profissional imediatamente.

Dor de estômago

Dor abdominal é a dor que você sente em qualquer lugar entre o peito e a virilha. Isso é muitas vezes referido como a região do estômago ou barriga.

Quase todo mundo experimenta dor no abdômen de uma vez ou outra. Na maioria das vezes, não é causado por um problema médico grave. O desconforto estomacal é um efeito colateral comum da amoxicilina. Os sintomas incluem dor abdominal, náusea e vômito.

Tomar sua dose de amoxicilina com uma refeição pode ajudar a evitar esse efeito colateral.

Para lidar com uma dor de estômago, coma alimentos leves e fáceis de digerir, como sopas, bolachas e torradas. A hortelã-pimenta é pensada para ajudar a perturbar os sintomas do estômago. Você pode tomar medicação antinausea se necessário.

Se sentir dor abdominal intensa e prolongada ou se vir sangue no seu vômito ou nas fezes, procure imediatamente a atenção da medicação.

Dor de cabeça

Uma dor de cabeça é dor ou desconforto na cabeça, no couro cabeludo ou no pescoço. As dores de cabeça mais comuns são provavelmente causadas por músculos tensos e contraídos nos ombros, pescoço, couro cabeludo e mandíbula.

Dores de cabeça são um efeito colateral comum de tomar amoxicilina e, embora menos grave, são uma ocorrência freqüente.

Tomar suas doses com alimentos e beber muita água pode ajudar a prevenir dores de cabeça causadas pela amoxicilina. O exercício regular, dormir o suficiente e controlar o estresse também podem ajudar.

Medicamentos para dor de cabeça e enxaqueca, incluindo Tylenol e Aleve , podem ajudar a aliviar dores de cabeça causadas pela amoxicilina.

Tontura

A tontura ocorre quando você se sente tonto, como se fosse desmaiar, ficar instável ou sentir uma perda de equilíbrio ou vertigem (um sentimento de que você ou a sala está girando ou se movendo).

A maioria das causas de tontura não é séria e nem se recuperam rapidamente ou são facilmente tratadas.

Informe o seu médico todos os medicamentos que você está tomando antes de prescrever-lhe amoxicilina. Para evitar tonturas, evite beber álcool quando estiver tomando amoxicilina.

Evite dirigir até saber como a amoxicilina afetará você. Se você ficar tonto, sente-se por um momento e veja se ele passa. Mantenha a cabeça elevada com um travesseiro se você se deitar.

A tontura pode ser um sintoma de anemia ou uma reação alérgica.

Se a tontura for grave ou combinada com sintomas como falta de ar ou inchaço dos lábios, face ou língua, uma reação alérgica grave pode estar presente. Procure atendimento médico imediato.

Vermelhidão, bolhas, descamação ou afrouxamento da pele, inclusive dentro da boca

As bolhas são pequenas lesões elevadas, onde o líquido se acumulou sob a pele. Eles podem ser causados ​​por uma reação alérgica, queimaduras, congelamento ou por fricção excessiva ou trauma na pele. Bolhas também podem ser um sintoma de uma doença sistêmica ou de um distúrbio específico da pele.

Esse efeito colateral é um tanto raro, mas sério quando ocorre. Se você sentir vermelhidão, bolhas ou descamação ou afrouxamento da pele depois de tomar amoxicilina, entre em contato com seu médico imediatamente.

Erupções leves e não coesivas podem ser tratadas por tratamento domiciliar quando não são severas. O tratamento inclui anti – histamínicos ou hidrocortisona , banhos de aveia e beber muita água. Se a pele começar a empolar, descascar ou se soltar, procure atendimento médico imediatamente.

Para evitar irritações severas da pele, não tome amoxicilina se for alérgico à penicilina.

Amarelecimento dos olhos ou da pele

A icterícia é uma cor amarela na pele, nas membranas mucosas ou nos olhos. O pigmento amarelo é da bilirrubina, um subproduto de antigos glóbulos vermelhos. Se você já teve uma contusão, você deve ter notado que a pele passou por uma série de mudanças de cor à medida que se curava. Quando você viu amarelo no hematoma, estava vendo bilirrubina.

Este efeito, e danos ao fígado ou ferimentos, também podem ser causados ​​pela amoxicilina. A lesão hepática pode ocorrer mesmo após a suspensão das doses de amoxicilina. É mais provável que isso aconteça ao tomar amoxicilina com clavulanato.

Os corticosteróides podem ser usados ​​para tratar esse efeito colateral. Reconhecer os primeiros sintomas, como fadiga, falta de apetite e vômitos, pode ajudar a evitar que a icterícia se agrave. Fale com seu médico se tiver algum desses sintomas.

Não tome amoxicilina se tem ou teve algum dano hepático.

Dificuldade para dormir

A dificuldade para dormir, chamada insônia, pode envolver dificuldade em adormecer quando você vai para a cama à noite, acorda cedo demais e acorda com frequência durante a noite.

Todo mundo tem uma noite sem dormir ocasional, e isso não é um problema para a maioria das pessoas. No entanto, 25% dos americanos relatam problemas ocasionais de sono, e a insônia é um problema crônico para cerca de 10% das pessoas.

Urina escura

A urina normal é frequentemente uma cor amarela pálida ou palha. Quando a cor da urina se desvia dessa cor, ela é considerada anormal. A urina anormalmente colorida pode ser turva, escura ou com sangue.

Quaisquer alterações na cor da urina, ou a presença de uma cor de urina anormal que não possa estar ligada ao consumo de um alimento ou medicamento, devem ser comunicadas ao seu médico. Isso é particularmente importante se acontecer por mais de um dia ou dois, ou se você tiver episódios repetidos.

Urina escura pode ser causada por amoxicilina devido a alterações no sangue, fígado e / ou função renal. A toxicidade renal é rara (ocorrendo em aproximadamente 0,03% dos pacientes), mas quando ocorre, pode ser grave.

Aqueles em risco de complicações renais, em particular, não devem usar amoxicilina para evitar esse efeito colateral e danos renais em potencial. Seu médico pode prescrever outro tipo de antibiótico.

Se você for prescrito amoxicilina, certifique-se de tomar somente a dose prescrita dentro do período de tempo sugerido pelo seu médico. Também é importante beber o requisito recomendado de água.

A urina escura é um efeito colateral grave da amoxicilina. Fale com o seu médico se tiver alterações na sua urina.

 

O Europeu de Avaliação de carros Novos, mais conhecido como não tinha feito até a data de qualquer teste que está associado com os sistemas atuais de condução de assistência. Desenvolveu-se dentro da carreira iniciada no fim de alcançar o carro autônomo, que servem para exaltar alguns modelos de promoção de sistemas automáticos de pilotagem, e tecnologias que aumentam a segurança na estrada.

Por esta razão, Euro-NCAP iniciou a avaliação destes sistemas. O que foi feito, incluindo o contexto da condução de forma autônoma, para concluir que ainda estamos longe automatizado de condução.

Recentemente, um relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), a lidar com uma questão semelhante. Alertou sobre a . Entre as diversas questões que foi o seu trabalho, enfatizando particularmente a ausência de um roteiro para as regras e as complicadas situações que estão a ocorrer entre o veículo e motorista para alcançar a condução autónoma completo.

De acordo com a Euro NCAP, estamos longe do carro autônomo…

Euro NCAP avaliou a situação de 10 modelos. Foram o Audi A6, BMW Série 5, DS 7 Crossback, Ford Focus, Hyundai NEXUS, Mercedes-Benz Classe C, o Nissan LEAF, o Tesla Model S, o Toyota Corolla e o Volvo V60.

Os sistemas mais relevantes que foram discutidos estão o (AAC), (AEB), o (ISA), controle de velocidade e sistemas . De acordo com o trabalho com o mesmo, o Euro NCAP tem rendido estas conclusões:

  • Nenhum carro atual oferece uma condução totalmente autônomos ou automatizada.
  • Carros de hoje pode fornecer assistência para o controlador, mas que não deve ser confundida com a condução automatizada. O condutor continua a ser responsável pela segurança.
  • Usadas corretamente, esta tecnologia pode ajudar o motorista a manter a distância de segurança, velocidade ou para ficar na pista.
  • Estes sistemas não devem ser usados em situações para as quais elas não foram projetados. Não deve ser considerado como uma alternativa para a condução segura e sob controle.
  • Os fabricantes implementaram diferentes abordagens na condução de assistência que oferecem, por sua vez, a vários níveis. Euro NCAP medidas essas diferenças e variações de cada modelo para o motorista.

…embora os tomadores de vê-lo tão perto

Euro NCAP destaques preocupante dado em termos de segurança rodoviária. É a falsa apreciação que estes sistemas de assistência pode proporcionar uma condução de forma autônoma. E é que, de acordo com o levantamento #TestingAutomation, mais de 70% dos motoristas acho que já é possível comprar um carro que a unidade por si só.

Isto é devido, em boa medida, para a grande divulgação e publicidade que tenham recebido os sistemas de assistência ao condutor de hoje. É por isso Euro NCAP insiste que eles não devem ser confundidos com alternativas mais avançadas que estão chegando.

Cada fabricante enaltece as virtudes de seus sistemas como o seu próprio, batizando-os com nomes específicos e usá-los em suas estratégias de vendas. As vantagens dos sistemas são indubitáveis, mas não devemos cair na confusão.

Este, além disso, a mistura com a grande onda de notícias que a condução autónoma detém quase que diariamente. A indústria teve vários anos de colocar datas para a chegada desta tecnologia. Desta forma, os fabricantes já apresentaram protótipos e realização de testes com modelos revolucionários sistemas ou até mesmo .

Condução autónoma vs condução assistida

Dado isto, é útil saber que existem . O carro autônomo não é uma meta que está indo começar em uma determinada data. É, antes, um caminho cheio de obstáculos que estamos apenas começando a explorar. Dentro desta evolução dos modelos, os sistemas de condução de assistência são apenas o primeiro passo.

Os especialistas têm um impacto, como mostrado acima mencionado relatório da OCDE, que a situação vai ser complexo até chegar ao nível de 5 de condução autónoma, isto é, a condução de autônomo completo. É nesses níveis intermediários que ainda estão para ser estabelecido o futuro regras sobre a relação entre seres humanos e máquinas”. Na verdade, alguns especialistas (como ) você vê potenciais fatores de risco no fato de que o motorista passa a se tornar um elemento passivo de segurança.

A partir de Euro NCAP para você ver claro. O condutor continua a ser responsável pela segurança. Isso para ver como ele continua a lidar com este problema nos próximos anos, quando você conseguir mais progresso. Para o momento, nós não carregamos o engano.

Em Circulação Seguro |

Imagens | Euro NCAP e

O termo imobilizar não é definido na Estrada Lei de Segurança e, portanto, temos que assumir que se refere ao uso do clássico ações, a barra de dispositivo anti-roubo, para de um dispositivo semelhante ou para uma delegacia. Não existe qualquer disposição legal ou regulamento que indica que os dispositivos ou mecanismos podem ser usados para realizar a imobilização. No entanto, é-nos dito no Regulamento Geral de Circulação, há e o procedimento a ser seguido pelos Agentes da Autoridade.

Vamos ver, o que acontece se nós dar positivo em um controle definido pela DGT e quais seriam as consequências em termos de resultados de testes de álcool e drogas.

Por que, como e onde eles podem congelar

inmovilizar el vehículo

O objetivo principal é estar em conformidade com a política atual é a de reduzir a incidência de seu consumo ser um fator que contribui na estrada vítimas de nosso país. Daí, que um positivo de álcool ou drogas é uma das razões por que os Agentes da Autoridade encarregada da fiscalização do tráfego pode proceder à imobilização do veículo.

Artigo 14. Bebidas alcoólicas e drogas.

1. Não pode correr em pistas em que o objeto do presente acto, o condutor de qualquer veículo com níveis de álcool acima do legalmente determinado.

Nem pode o condutor de qualquer veículo com a presença de drogas no corpo, a partir da qual são excluídas as substâncias que são utilizados sob prescrição médica e para fins terapêuticos, desde que você está em uma posição para utilizar o veículo em conformidade com a obrigação de diligência, prudência e não uma distração, conforme estabelecido no artigo 10.

2. O motorista de um veículo é obrigado a se submeter a testes para a detecção de álcool ou a presença de drogas no organismo, que é realizada pelos agentes da autoridade encarregada da fiscalização do tráfego no exercício das funções atribuídas a eles. Igualmente estão vinculados por outros utentes da estrada quando eles estão envolvidos em um acidente de trânsito ou que tenham cometido uma violação como tipificados nesta lei.

3. Os testes de despistagem de álcool consistirá na verificação do ar expirado por meio de dispositivos autorizados, e para a detecção da presença de drogas no corpo, em um teste salivar por um dispositivo autorizado e, em uma análise posterior, de uma amostra salivar em quantidade suficiente.

No entanto, quando não são justificadas razões que o impedem de realizar esses testes, poderá ordenar o exame médico do assunto ou a realização de testes clínicos que os médicos do centro de saúde para ser movido como eles julguem mais adequada.

4. O procedimento, as condições e os termos em que os testes para a detecção de álcool ou drogas vão ser determinada pelos regulamentos.

5. Para fins de contraste, a pedido do interessado, será capaz de repetir os testes para a detecção de álcool ou drogas, que consistem de preferência na análise do sangue, exceto em casos excepcionais e devidamente justificados. Quando o contraste teste de mostrar um resultado positivo deve ser paga pelo requerente.

A equipe médica é obrigado, em qualquer caso, para dar conta do resultado destes testes para o Chefe do Tráfego da província, onde ele tenha cometido o fato, ou, quando for o caso, aos órgãos competentes para a sanção das comunidades autónomas que receberam a transferência de funções e de serviços na área de trânsito e circulação de veículos a motor ou as autoridades municipais envolvidas.

inmovilizar el vehículo

A imobilização de veículos começou a ser regulamentado no ano de 1934, época em que adotou o Código de Circulação. Desde essa data, tem havido muitas reformas que têm vindo a emergir para a aprovação do atual, que entrou em vigor em janeiro de 2016. No desenvolvimento da Lei, é indicado que a imobilização é realizada por meio de um selo ou outro procedimento eficaz que impede o movimento do veículo. Não é o suficiente para remover a chave de ignição, mas o agente deve garantir que o veículo não pode ser circular. Por outro lado, é especificado que a imobilização deve nunca atrapalhar a circulação, então você tem que escolher um lugar adequado.

Mas aqui não acaba com a coisa, porque podemos retirar e depositar o veículo:

Artigo 105. De depósito e retirada do veículo:

1. A autoridade encarregada da gestão do tráfego pode continuar, se necessário, para a remoção do veículo a partir da forma e seu depósito em local designado, nos seguintes casos:

a) na medida em que constitui um perigo, causar graves perturbações à circulação de veículos ou pedestres ou prejudicar qualquer serviço ou ao patrimônio público.
(b) No caso de um acidente que o impede de continuar a sua marcha.
c) Quando, de proceder legalmente para a imobilização do veículo, e não o local adequado para implementá-lo sem atrapalhar a circulação de veículos ou pessoas.
(d) Quando a imobilização de um veículo, em conformidade com o disposto no artigo 104, não cesasen as causas que levaram à imobilização.
(e) Quando um veículo permanece estacionado em locais definidos pela autoridade municipal, como áreas de estacionamento reservados para o uso das pessoas com deficiência, sem colocar o emblema que autoriza a eles.
f) Quando um veículo permanece estacionado em vias ou partes de rotas reservados exclusivamente para a circulação ou para o serviço de determinados usuários e nas áreas reservadas para carga e descarga.
g) Quando um veículo permanece estacionado em locais definidos pela autoridade municipal, como um parque de estacionamento com restrições de tempo sem colocar o emblema que autoriza, ou quando exceder o triplo do tempo pago de acordo com o que está estabelecido no decreto municipal.
h) Quando obstruir, dificultar ou representar um perigo para a circulação.

2. Exceto em casos de rapto ou de outras formas de utilização do veículo contra a vontade de seu titular, devidamente justificados, as despesas incorridas como resultado da retirada referida no número anterior deve ser por conta do proprietário, o locatário ou do habitual controlador, conforme o caso, que deverá ser pago como um pré-requisito para a devolução do veículo, sem prejuízo do direito de recurso e da possibilidade de em vez de passá-los ao responsável do acidente, o abandono do veículo ou de infração que deu origem ao cancelamento. O agente de autoridade poderá retirar a licença de circulação do veículo até que ele foi creditado o pagamento das despesas referidas.

3. A Administração deve comunicar o depósito e retirada do veículo ao proprietário, dentro de vinte e quatro horas. A comunicação será realizada através do e-mail (Estrada, se o titular tinha.

Um antes e depois, após uma verificação em álcool e drogas da DGT

inmovilizar el vehículo

No caso em que o resultado dos testes e análises, no seu caso, positivo ou recusar-se a realizar o testsbas de detecção de álcool e drogas, o policial pode proceder-se, além disso, para a imediata imobilização do veículo. Esta imobilização é realizada por meio de um selo ou outro procedimento eficaz que impede o movimento do veículo. No entanto, é a possibilidade de que ele pode levar de carga do veículo e da sua condução outra pessoa devidamente autorizada. Em qualquer caso, serão fornecidas para a segurança das pessoas transportadas, o próprio veículo e sua carga no caso de um veículo de transporte de mercadorias.>

A imobilização do veículo é para ser deixado sem efeito assim que desaparecer a causa que a motivou, ou ser substituído, a condução do veículo por outro condutor habilitado. As despesas que possam surgir devido à imobilização, remoção e depósito do veículo deve ser por conta do condutor ou da pessoa que legalmente tem que responder por ele. Imobilização em si mesma, não tem preço. O que se tem gastos é a transferência e depósito do veículo e os conselhos reflete essa possibilidade em suas Ordenanças Tráfego com um texto semelhante ao seguinte:

As despesas incorridas como resultado da imobilização do veículo, deve ser por conta do titular, que deverá ser pago, ou garantir o seu pagamento como um pré-requisito para o levantamento de tal medida, sem prejuízo do direito de defesa, que vai assistir e a possibilidade de repercutirlo a pessoa responsável que levou a Administração a adotar tal medida.

Outro problema a ter em mente é que, se, após a imobilização do veículo, ele foi o assunto de roubo ou danos não relacionados com a segurança rodoviária, a responsabilidade não seria do agente, mas a do autor do dano ou do roubo, porque o veículo não está sob a custódia do agente.

Finalmente, a violação da restrição ou depósito de segurança é sancionada. De acordo com o Código Penal, pode ser um crime de grave desobediência a um Agente da Autoridade punido com pena de prisão de 3 meses a 1 ano de prisão ou uma multa de 6 a 18 meses.

Em Circulação Seguro |