Coisas que você não sabia

Que tipo de criança pode ser chamada de esperta? A Turner (dos canais Cartoon Network, Boomerang e TNT) perguntou isso para eles mesmos na quarta edição do seu estudo ‘Kids Experts’. O resultado foi uma imersão na vida dos pré-adolescentes brasileiros – os mesmos tweens de quem falei ontem, no post Palavras mais buscadas por pré-adolescentes.

Segundo dados do IBGE, as crianças que se sentem adolescentes (com idades entre 8 aos 14 anos) representam 8% da população. Nós pais destas crianças que insistem em crescer rápido demais já sabíamos de várias das coisas que foram apresentadas pelo canal como conclusões dos estudos. A mais importante é que os amigos são parte essencial da vida deles.

A turma, como no nosso tempo, faz companhia, é ombro amigo e compartilha programas. Curiosidade: 65% não têm namorados nem querem ter um agora, mas (que coisa!) 20% estão a procura de um ‘alguém’ e 12% estão namorando. E segundo os entrevistados, a partir dos 11 anos ‘ficar’ (beijar sem compromisso) é comum, nada extraordinário.

As principais tribos identificadas pela pesquisa são a dos esportistas, a dos bagunceiros, (que arrumam confusão e tiram notas baixas para chamar a atenção), a das patricinhas, os ‘nerds’, que só pensam em estudar e muitas vezes são alvo de preconceito por parte dos colegas, os ‘emos’ (jovens sentimentais, sensíveis e geralmente tristes) e os populares – que é onde quase todos querem chegar. Os populares são convidados para todas as festas, nunca ficam sozinhos e são aqueles com quem todos e todas querem ‘ficar’.

E seguindo o que se reforça nesta faixa etária, fortemente influenciada por desenhos animados estadunienses e suas políticas e disputas de popularidade, as crianças indicaram seis passos que um pré-adolescente brasileiro precisa dar para se tornar ‘popular’:

  •  tem que ser bonito,
  •  chamar a atenção na classe,
  •  usar roupas de marca,
  • ter vida social intensa,
  •  ser bom em esportes
  •  ter dinheiro para comprar as coisas mais legais.

Meio desesperador, né? Pois outro dado é que seja qual for a tribo desses jovens, estar na moda é quase que obrigatório para 90% dos entrevistados que consideram que andam na moda – consumindo marcas de prestígio, principalmente as esportivas. E claro que os eletrônicos também trazem status para quem os usa e dentre os gadgets – tanto para meninos quanto para meninas – é muito mico sair de casa sem os celulares!

Eu fico me perguntando em que mundo estao inseridos meus filhos! E vocês, pais, o que acham?